close

Praias

atrativosaventuraBeberibeCulturaEsportesPraiasTravel

Aaron Hadlow fala do Brasil ( e do Bebê )

Foto divulgação Aaron Hadlow

Quem veleja sabe quem ele é. Aaron Hadlow é pentacampeão mundial de kitesurfe. Hoje seu nome é uma marca e aonde ele vai atrai o publico que se surpreende ao vê-lo navegar. Quando nos encontramos na Inglaterra eu conversei com ele e puxei a conversa pra saber o que ele pensa do atual circuito mundial, seus picos preferidos no Brasil e sobre o atual bicampeão mundial, o fenômeno Carlos Mario Bebê, local da Lagoa do Cauípe.

Vidas ao Vento- Quem acompanha o Circuito Mundial associa seu nome à inovação. O que te motiva a inovar sempre e continuar velejando até hoje?

Aaron Hadlow- Eu já velejei tanto e me diverti tanto com isso que o progresso era inevitável, foi muito natural. Eu não queria estar no mesmo lugar e eu sabia que se aprendesse algo novo eu iria garantir meu lugar no topo, e assim fiz. Gosto sempre de tentar algo diferente.

VV- E até quando vamos te ver competindo?

AH- Não sei exatamente por mais quantos anos, não tenho isso planejado, mas seguramente até final do ano eu sigo competindo. Sei que o  Red Bull King of the Air e o Triple S são eventos que eu sempre quero competir.

VV- Eu estava falando com a Gisela antes e ela está mudando para o kitewave; você se mantém competindo freestyle ou também pensa em mudar sua carreira?

AH- Não, eu sou freestyle. Fico com minhas manobras e também gosto de fazer o big air e competir em rails.

VV- E te veremos treinando no Brasil em 2017?

AH- Até agora não tenho nada agendado mas provavelmente sim, todo ano eu acabo indo… Adoro as lagoas do Brasil.

VV- Quais são as suas preferidas?

AH- A da Taíba e o Pro Kite Brasil, em Uruau.

VV- Sendo você mesmo por 5 anos consecutivos considerado o melhor do mundo, qual a sua opinião sobre o velejo do Bebê, que já se consagrou campeão mundial por 2 anos?

AH- Ele tem potencial pra fazer o mesmo que eu fiz, o nível dele é incrivelmente alto. Ele é tão consistente comparado a todos os outros, talvez o Liam ( Liam Whaley, espanhol campeão mundial em 2015) possa desafiá-lo.

 

Jornal: O Povo/ Giselle Nuaz

 

 

 

 

Via

Leia Mais